terça-feira, 30 de setembro de 2014

Coisas que enchem o meu coração 2#

Os sonhos e a alegria da velha infância, como um conjunto de fotografias consegue reportar a isso tudo? Não sei explicar, apenas senti e reagi aos meus sentidos.
Essas memórias estavam fechadas numa pequena caixinha de veludo, um tanto esquecidas que pareciam
nem existir até ver a primeira fotografia e toda aquela nostalgia surgiu.
Ao olhar para estas fotografias lembro-me dos passeios pelo Rossio, pelo Martim Moniz e outros locais de Lisboa com o meu avô e a restante família. Correr atrás dos pombos (sim! eu gostava de pombos), saltitar pela rua, ver o eléctrico a passar, o cheiro da castanha assanha, os artistas de rua, aquela sensação despreocupada, aquela felicidade instantânea...
A Baixa Lisboeta continua igual... os anos passaram mas nada mudou, apenas eu! Enche-me o coração por saber que fui feliz e nem sabia.
Podem encontrar as fotos todas aqui, em Afro Savage.


Créditos: Johnny Jonnes 



I.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Coisas que enchem o meu coração 1#

Ando com pouca vontade de escrever, tenho um trabalho para entregar e só vai a meio!
Nas minhas andanças pelo facebook em busca de inspiração, li este artigo e encheu-me o coração.
Por muito mau tenho que sido o nosso percurso, podemos sempre encontrar uma boa saída e este senhor é o exemplo disso... Vender livros para sobreviver, não podia ficar mais tocada! 
Sendo uma amante da literatura, é-me difícil separar de livros. Não sei se conseguiria vender os meus livros, são todos especiais ou porque foram oferecidos ou porque os comprei numa determinada fase da minha vida e/ou representam alguma coisa, enfim! Logo não posso deixar de admirar a coragem e persistência deste senhor. Um bem-haja!



I.